Crianças não aprendem escutando

Por Michele Müller

O cientista cognitivo Steven Pinker alega, em seu livro O Instinto da Linguagem, que a linguagem está pré-programada nos humanos de tal forma que não conseguimos suprimir nossa habilidade de aprendê-la e usá-la, assim como não conseguimos suprimir nosso instinto de retirar a mão de uma superfície quente. Para a linguista Jean Barko Gleason, as estruturas mentais que favorecem a utilização da linguagem só garantem o desenvolvimento dessa capacidade quando existe interação social e interesse.

Robert Seaver

“As crianças não aprendem a se comunicar apenas escutando. O desenvolvimento da linguagem é um evento cooperativo, que acontece entre crianças e as pessoas com as quais elas interagem. A estrutura cognitiva é necessária para que haja compreensão, mas a base emocional também precisa estar presente. Elas devem se importar para aprender.”

Jean Barko Gleason em entrevista a Krista Tippett

Michele Müller

11 dezembro 2017

O propósito do amor não é eliminar as diferenças, mas aprender com elas

Ao descrever as complexidades de uma vida compartilhada, na autobiografia Hour Glass, a escritora americana Dani Shapiro parte das situações mais particulares para colocar o leitor frente a

Michele Müller

22 março 2018

Escreve-se não para explicar, mas para entender

O ato de escrever permite, ao mesmo tempo, a comunicação das infinitas narrativas construídas pela consciência e o acesso a esses mundos interiores. Nesse diálogo consigo mesmo e

Powered by tnbstudio