Crianças não aprendem escutando

Por Michele Müller

O cientista cognitivo Steven Pinker alega, em seu livro O Instinto da Linguagem, que a linguagem está pré-programada nos humanos de tal forma que não conseguimos suprimir nossa habilidade de aprendê-la e usá-la, assim como não conseguimos suprimir nosso instinto de retirar a mão de uma superfície quente. Para a linguista Jean Barko Gleason, as estruturas mentais que favorecem a utilização da linguagem só garantem o desenvolvimento dessa capacidade quando existe interação social e interesse.

Robert Seaver

“As crianças não aprendem a se comunicar apenas escutando. O desenvolvimento da linguagem é um evento cooperativo, que acontece entre crianças e as pessoas com as quais elas interagem. A estrutura cognitiva é necessária para que haja compreensão, mas a base emocional também precisa estar presente. Elas devem se importar para aprender.”

Jean Barko Gleason em entrevista a Krista Tippett

Michele Müller

12 março 2017

O que sustenta uma amizade

Sem o exercício da tolerância e sem a força da presença, as relações se mantêm frágeis e as amizades, superficiais. Proximidade não se conquista sem a capacidade de

Michele Müller

27 setembro 2017

Contra a rigidez e o conformismo

“Eu me contradigo? Pois bem, então me contradigo. Sou amplo, contenho múltiplas dimensões”, escreveu Walt Whitman em um de seus mais aclamados poemas. Virgínia Woolf também nos coloca

Powered by tnbstudio