O que sustenta uma amizade

Por Michele Müller

Sem o exercício da tolerância e sem a força da presença, as relações se mantêm frágeis e as amizades, superficiais. Proximidade não se conquista sem a capacidade de aceitar que pontos de vista inevitavelmente vão se desencontrar, que nossas fraquezas inevitavelmente vão aparecer e as dos outros possivelmente irão nos chatear.

O filósofo britânico David Whyte lembra que o valor da amizade está justamente nessa mútua e contínua compreensão.

Hugh Thomsson, old maids

“Os amigos permanecem próximos conhecendo nossas dificuldades e sombras. Oferecem companhia em momentos de vulnerabilidade mais que nos triunfos – quando estamos sob a estranha ilusão de que não precisamos deles. A amizade é valiosa justamente porque sua forma elementar é redescoberta muitas vezes por meio da compreensão e aceitação. Sem perdão e tolerância mútua e contínua, qualquer amizade morre”.

CompartilheShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Michele Müller

4 outubro 2017

Isaac Asimov critica a aprendizagem forçada

Não existe, em algum laboratório, um cérebro-modelo com o qual os outros devam ser comparados para serem considerados normais. Esse princípio, defendido pelo psicólogo e escritor Thomas Armstrong,

Michele Müller

11 dezembro 2017

O propósito do amor não é eliminar as diferenças, mas aprender com elas

Ao descrever as complexidades de uma vida compartilhada, na autobiografia Hour Glass, a escritora americana Dani Shapiro parte das situações mais particulares para colocar o leitor frente a

Powered by tnbstudio