Crianças não aprendem escutando

Por Michele Müller

17 de abril de 2017

O cientista cognitivo Steven Pinker alega, em seu livro O Instinto da Linguagem, que a linguagem está pré-programada nos humanos de tal forma que não conseguimos suprimir nossa habilidade de aprendê-la e usá-la, assim como não conseguimos suprimir nosso instinto de retirar a mão de uma superfície quente. Para a linguista Jean Barko Gleason, as estruturas mentais que favorecem a utilização da linguagem só garantem o desenvolvimento dessa capacidade quando existe interação social e interesse.

Robert Seaver

“As crianças não aprendem a se comunicar apenas escutando. O desenvolvimento da linguagem é um evento cooperativo, que acontece entre crianças e as pessoas com as quais elas interagem. A estrutura cognitiva é necessária para que haja compreensão, mas a base emocional também precisa estar presente. Elas devem se importar para aprender.”

Jean Barko Gleason em entrevista a Krista Tippett

CompartilheShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Michele Müller

4 outubro 2017

Isaak Asimov critica a aprendizagem forçada

Não existe, em algum laboratório, um cérebro-modelo com o qual os outros devam ser comparados para serem considerados normais. Esse princípio, defendido pelo psicólogo e escritor Thomas Armstrong,

Michele Müller

27 fevereiro 2017

As possibilidades que o amor desperta

“A inspiração é uma visita que sempre chega de surpresa”, escreveu o filósofo e poeta irlandês John O’Donohue em sua mais conhecida obra, Anam Cara (Amigo de Alma),

Powered by tnbstudio